Creative Commons

Licença Creative Commons
A obra Pesquisas de Ronaldo Filho de Ronaldo Filho foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em psconhecimento1988.blogspot.com.

domingo, 8 de maio de 2011

Scorpius e Orion

Reações: 
Clique aqui para ver o original.
Scorpius
ou Escorpião

Em maio já podemos ver as estrelas que formam a constelação zodiacal de escorpião. Mas sua real aparição de dá nos meses de junho e julho. Sua estrela mais brilhante é Antares, uma supergigante vermelha, muito maior que o nosso Sol. Sua visibilidade no céu noturno é evidente, pois sua magnitude oscila entre 0,9 e 1,2. Ela carrega consigo, dois aglomerados abertos, o M6 e o M7, que adornam a calda do escorpião. (A "astro-foto" ao lado é uma das primeiras que eu registro. Ficou um pouco escuro, mas podemos ver algumas estrelas, como Antares).












Orion
ou Órion

Sua maior aparição nos céus se dá nos meses de dezembro e janeiro, embora podemos vê-lo após o pôr-do-sol até os meses de março e abril. A constelação é conhecida pelas famosas Três Marias. Desde criança escutamos este termo, mas na verdade se trata do Cinturão de Órion, O Caçador. São elas: Mintaka, ALnilan e Alnitaka (nomes estranhos, não?). Uma das estrelas que mais chamam a atenção, é Betelgeuse, esse nome complicado mesmo, outra supergigante vermelha, centenas de vezes amior que o Sol, de magnitude maior que Antares, variando de0,0 e 1,3. Ela está cerca de 430 anos-luz mais próxima da Terra que qualquer outra estrela da constelação. Ao contrário de Betelgeuse, Rigel é uma supergigante azul e brilha ainda mais, salvo quando Betelgeuse brilha mais. Elas ficam disputando quem brilha mais, típica batalha 'estelar'.





Mas por que citar estas duas constelações tão distantes?
Bom, elas tem muitos outros objetos a serem observados, como a Nebulosa Cabeça de Cavalo em Órion (foto ao lado). Mas o real motivo para este post é falar de uma história mitológica ligada a essas constelações, em que o Escorpião mata o caçador Órion. Abaixo, algumas versões de como tudo ocorreu:






Na mitologia, o caçador Órion tentou atacar a deusa Ártemis, a deusa da Caça e da vida selvagem (foto ao lado). Por este feito, ela enviou um escorpião para abater Órion.
Noutra história, a Mãe Terra deu ordens ao escorpião de humilhar Órion, que se vangloriou por dizer que poderia caçar ou abater qualquer animal selvagem. Humilhante mesmo, visto que escorpião é apenas um artropode invertebrado.
De acordo com o poeta Homero, Órion, apesar de sua exímia habilidade de caçador, foi morto por um escorpião, em decorrência de ser um fanfarrão.















Desta forma, sempre quando a constelação de Escorpião aponta no leste, Órion está se refugiando no oeste, numa fuga constante. Uma história e tanto acima de nossos corpos, na abobada celeste, no firmamento, e nem percebemos.

2 comentários:

  1. Ótimo texto, sempre aprendo aqui. E que foto maravilhosa a primeira!

    ResponderExcluir
  2. Execelente blog!
    Jamais observarei estas constelações como antes!
    Continue com o excelente trabalho!

    ResponderExcluir

Visitantes pelo Mundo

Visitantes

free counters

Apollo 11